Mulher conta o que aprendeu após viajar o mundo sozinha

Se há quem condene mulheres por irem até a esquina sozinhas, imagine o que disseram para a californiana Kristin Addis, 29, quando em 2012 ela pediu demissão, vendeu todos os seus pertences e avisou que estava saindo em uma viagem pelo mundo – sozinha! A moça já passou por mais de 35 países desde então, conheceu lugares e pessoas incríveis e, apesar de um ou outro perrengue, não se arrepende nem um pouco de ter partido nessa jornada.

Há três anos ela se tornou uma viajante e, longe dos luxos de um hotel cinco estrelas ou pomposos roteiros turísticos, ela faz viagens usando transporte público, hospeda-se em hotels e em pousadas e tem o objetivo de conhecer cada país que visita a fundo. Seus destinos favoritos, até hoje, são Pai, no norte da Tailândia, Dali, na China, Berlim, São Francisco, nos EUA e Cape Town, na África do Sul. Este último, segundo ela, foi um dos países mais surpreendentes, devido à riqueza das paisagens.

Hoje, a viajante se lembra como se sentia infeliz em seu emprego que, apesar de lhe trazer uma certa estabilidade, não a satisfazia completamente. O ápice da insatisfação foi quando precisou fazer uma cirurgia no ombro e, afastada do trabalho, descobriu que era mais feliz assim. Após tanto viajar, Kristin criou o blog Be My Travel Muse, em que dá dicas para pessoas que querem viajar o mundo. É a partir dele que hoje ela banca financeiramente suas viagens e não tem planos de parar.

travel-muse20

Além de descobrir-se uma viajante apaixonada pelo mundo, Kristin encontrou o prazer de estar em sua própria companhia. Todas as viagens são feitas sozinhas e, apesar de compartilhar e curtir momentos com diferentes pessoas que conhece ao longo da jornada, está sempre por si só. “Uma das partes mais difíceis de se viajar sozinho é lidar com seus próprios pensamentos. Você terá muito tempo para pensar quando está sozinho, por exemplo em uma viagem de 14 horas de ônibus, e você precisa estar consciente disso. Agora, eu acho isso algo bom, porque viajar sozinha me ajudou a apreciar minha própria companhia. Eu sou uma pessoa mais confiante e consigo resolver melhor os meus problemas“, afirmou ela ao Daily Mail.

Para incentivar outras mulheres a fazerem o mesmo, apesar de todos os conselhos que são dados para não se viajar sozinha, Kristin escreveu o livro “Conquering Mountains: how to solo travel the world fearlesssly” (Conquistando Montanhas: como viajar o mundo sozinho e sem medo, em tradução livre”. “Quando você está viajando sozinha, muitas pessoas vão tentar te convencer dizendo que não é seguro – mas na verdade talvez seja mais seguro ir sozinha. Eu acho que é importante para as pessoas experimentarem uma viagem sozinhas, você consegue ser quem você realmente é, pois ninguém mais te conhece“, explicou.

travel-muse

travel-muse2

travel-muse3

travel-muse4

travel-muse5

travel-muse6

travel-muse9

__

Publicado Originalmente: Hypeness



Deixe seu comentário no Facebook